LMS – Volume 1, Capítulo 6: Ao Longo de um Churrasco

Versão em .pdf1: [LMSNovelBR] Volume 1 – Capítulo 6 – Ao Longo de um Churrasco (nota integrada)

Versão em .pdf2: [LMSNovelBR] Volume 1 – Capítulo 6 – Ao Longo de um Churrasco (nota rodapé)

Segue o capítulo abaixo:

——————————————–

Capítulo Anterior  |  Próximo Capítulo

capa v1c062

Volume 1

CAPÍTULO 6 – Ao Longo de um Churrasco

            Rodriguez sofria com um grave problema.

            *Ranger* (ranger os dentes)

            Era o sexto dia e aquele sujeito chamado Weed ainda estava sentado em frente à mansão. Rodriguez em sua reclusão tinha estado consciente da presença do intruso desde o primeiro dia. Ele apostava que Weed ainda estava ocupado vendendo suas pequenas estátuas estúpidas para clientes.

            “Eu preciso descobrir quem é esse homem e o que ele quer de mim”.

            Rodriguez murmurou para si próprio.

            Apesar de sua extrema preguiça, no sexto dia Rodriguez finalmente cedeu à sua curiosidade e moveu a sua bunda.

            “Saudações, estranho. Eu sou Rodriguez. O que você tem aí que está esperando para me dar?”

            “Wow! O conselheiro saiu!”

            “É realmente ele!”

            “Rodriguez, a Estrela da Sabedoria!”

            A multidão na fila de espera para comprar as estátuas de Weed estava surpresa.

            Sábios têm algo em comum: eles querem ser deixados sozinhos. Especialmente quando um estranho afirma que ele trouxe algo a ser tratado com urgência. Rodriguez finalmente apareceu do lado de fora do portão.

            Weed pescou um lenço bordado com um pássaro azul de seu bolso e o apresentou ao conselheiro.

            “É por isso que eu me incomodei de esperar seis dias, conselheiro”.

            Os olhos de Rodriguez imediatamente encheram-se de lágrimas.

            “Sim, este é um dos lenços da rainha Evane … Há muitos olhos e ouvidos aqui. Por que você não entra, viajante?”

            “Sim, senhor. Desculpe-me pessoal! Eu fechei por hoje!”

            Triunfantemente radiante, Weed dobrou a sua tenda e se levantou.

            “Corta essa!”

            “Deixa-me ver também!”

            A multidão gritou em protesto, alguns deles até mesmo expressaram queixas por terem sido deixados de fora do momento histórico, mas nem Weed nem Rodriguez se importaram. Rodriguez, em seguida, levou seu convidado para dentro da mansão.

            “Agora que está quieto. Qualquer um que me traz um item que pertenceu à rainha Evane tem o privilégio de me perguntar uma coisa”.

            “Sim, eu sei senhor”.

            Weed respondeu.

            Conselheiro Rodriguez! Há algum tempo atrás, ele havia declarado publicamente que ao homem que trouxesse um item, que outrora pertencia a rainha Evane, era garantido uma audiência. Neste caso, Weed apresentou o lenço dela.

            “Fale viajante. Eu sou todo ouvidos para qualquer coisa que você disser”.

            O tom sincero de Rodriguez exibia o dever do sábio quando se estivesse lidando com a angústia de um companheiro. Porém, o conselheiro estava apenas fingindo.

            Embora o lenço da rainha Evane fosse inestimável para Rodriguez, ele não tinha a menor intenção de ajudar Weed. Isso não contradizia a sua promessa? Não, na verdade não.

            Rodriguez persuadiu Weed a falar e acrescentou que ele ouviria qualquer coisa dele. Tudo o que o conselheiro era obrigado a fazer era informar-se sobre o que Weed estava preocupado, a fim de satisfazer o seu desejo intelectual e curiosidade, apenas isso. Ele nunca considerou realmente apresentar uma solução para qualquer problema que Weed tivesse.

          Um bom número de usuários havia sido enganado pelo conselheiro Rodriguez de uma maneira similar. Ele sempre colaborava com eles e evitava dar as respostas pelas quais eles procuravam desesperadamente.

            Além de seu glorioso título de ‘A Estrela da Sabedoria’, o conselheiro era amplamente acusado de ser o ‘Beco sem Saída das Missões’. Weed não caiu em tal truque tão infantil e ingênuo. Para começar, ele não confiava Rodriguez.

            Um homem é um ser muito fraco. Isso foi o que Weed sentiu intensamente durante toda a preparação de um ano antes de Royal Road: um enfraquecimento da força de vontade e um corpo em busca de conforto. Weed nunca confiou em si mesmo, então por que ele deveria confiar em Rodriguez, o qual ele não tinha visto anteriormente?

            “Faz alguma diferença se eu lhe contar o meu problema?”

            “O que você quer dizer com alguma diferença, viajante?”

            “Você me ajudará após me ouvir, conselheiro?”

            “Isso….”

            “Então, eu me recuso a dizer qualquer coisa. Por que se importar? Eu apenas ficarei com a minha língua cansada”.

            Rodriguez arqueou as sobrancelhas. Ele fingiu que a sua integridade estava sendo minada pela paranoia de Weed.

            “Sim, Weed-nim. Fale-me agora! Você pode tomar a liberdade de me dizer qualquer coisa que você tenha em sua mente. Você me trouxe o lenço da rainha Evane e agora é o seu direito falar o que pensa”.

            Rodriguez disse em seu melhor tom de persuasão.

            Elas eram as palavras pelas quais Weed estava esperando.

            ‘Vou fazê-lo falar!’

            Infelizmente para o conselheiro, Weed era mais astuto do que o grupo que Rodriguez tinha tratado anteriormente. Ele exigiu o selo final de confirmação:

            “Conselheiro, você me dirá o que eu quero saber se eu lhe perguntar?”

            “…..”

            “Eu devo permanecer em silêncio até que você me prometa com suas próprias palavras”.

            “Eh? … Agora me escute, Weed-nim”.

            “Parece que o lenço da rainha Evane é um objeto de valor inestimável, conselheiro. Em particular, aos meus olhos, isso significa algo maior para você. Eu devo levá-lo de volta?”

            “Fique com ele e saia daqui agora!”

            “Claro. Boa sorte, senhor”.

            Quando Weed realmente pegou o lenço e se virou, Rodriguez ergueu as duas mãos no ar como uma bandeira branca. (NT = Nota João: Sinal de rendição)

            “Espere! Eu prometo a você em pessoa que eu lhe darei orientação quando eu ouvir o seu pedido. Eu já prometi responder qualquer um que trouxesse os pertences da Rainha Evane. Então, enquanto estiver dentro da minha capacidade, eu sou obrigado a fazê-lo”.

            “Você fará o juramento de um homem?”

            “É claro … Mas você deve me fazer um favor em troca. Algum dia”.

            Weed considerou a contraproposta de Rodriguez, e concordou:

            “Fechado!”

            O conselheiro sorriu:

            “O que é que o incomoda, Weed-nim? Uma questão insignificante não poderia obrigá-lo a ficar lá fora pelos últimos seis dias”.

            Rodriguez tinha a sua própria agenda, no entanto, por trás de sua pergunta, falou a sua curiosidade.

            ‘Quem se preocupa com você? Como você se atreve a me humilhar a fazer um acordo com uma criatura tão humilde quanto você! Responder-lhe? Eu irei, oh eu irei! Porém, a minha resposta deve ser a mais complicada, terrivelmente distorcida e tortuosa o suficiente para você pagar o preço!’

            Rodriguez estava confiante em vingar-se uma vez que ele descobrisse o pedido de Weed.

            Se Weed quisesse encontrar alguém, ele seria informado sobre um sobrinho de um primo de uma madrasta de um amigo de uma esposa da pessoa em questão, a quem ele teria de seguir por conta própria. Se Weed quisesse encontrar um lugar, lhe seria dito sobre uma terra distante com um nome similar.

            *Snicker* (NT = Nota João: riso)

            Quer ele suspeitasse do truque ardiloso de Rodriguez ou não, Weed finalmente falou de seu atual problema:

            “Eu não sei qual classe eu deveria selecionar”.

            “Classe? Agora que eu olho para você, eu vejo que você não tem sequer uma ainda”.

            “Não, conselheiro”.

            Weed confirmou.

            Rodriguez riu levemente. Isso era muito mais trivial do que ele havia previsto.

            O que ele tinha em mente era que Weed pediria o paradeiro de uma masmorra secreta, ou sobre as futuras políticas de Rosenheim.

            Uma boa masmorra produz uma fortuna para seu explorador e uma política é valiosa se você souber como tirar proveito dela. Suponha que você saiba de antemão que a corte real está planejando desenvolver as províncias do Sul no próximo ano, você pode obter os direitos comerciais nas províncias preventivamente e extrair um enorme lucro com isso.

            Uma recomendação pessoal sobre qual classe escolher era, de fato, uma moleza para Rodriguez.

            “Eu não posso acreditar que uma questão pequena tem perturbado a sua alma tão profundamente. Você não precisava me consultar em primeiro lugar. Eu aconselho você a visitar uma agência de emprego. Seus seis dias foram desperdiçados, Weed-nim”.

            “Eu fui aconselhado de que o conselheiro era a pessoa que poderia fazer o melhor julgamento”.

            “Oh? Tudo bem, então. Eu recomendarei uma classe perfeita para você! Mostre-me suas estatísticas”.

            “Sim, senhor”.

            Weed exibiu a janela de status pela primeira vez desde que ele tinha trabalhado duro para melhorar as suas estatísticas no Centro de Treinamento.

            “Abrir janela de status”.

Nome do Personagem:

Weed Alinhamento: Neutro

Nível:

13 Título:

Nenhum

Profissão: Nenhuma Fama:

20

Estatísticas:

Vida:

960 Mana: 100

Força:

55 Agilidade: 105

Vitalidade:

50 Sabedoria: 10

Inteligência:

10 Carisma:

0

Espírito de Luta: 67 Resistência:

89

Sorte: 0 Arte:

23

Ataque: 19 Defesa:

5

Resistência Mágica:

0

            Weed tinha jogado dia e noite e o resultado foi o nível treze. Ele poderia lidar com um lobo em um piscar de olhos agora.

            “Minha Freya!”

            Rodriguez estava chocado.

            “Nível treze e com uma vida de novecentos e sessenta? Para o seu nível, você excedeu cinquenta em força e vitalidade, além de cem na agilidade! Centro de Treinamento. Eu posso dizer que você se formou no Centro de Treinamento. Sua força de vontade é, sem dúvida, admirável”.

            Rodriguez fez jus a sua reputação como a Estrela de Sabedoria já que ele acertou o seu julgamento baseado unicamente nos atributos de Weed. Porém, a surpresa não terminou aí.

            “Você tem o nível quatro no domínio escultural e nível seis na habilidade artesanal! É incrível, simplesmente inacreditável! O caminho que você tomou, eu imploro para ouvir qual foi”.

            Weed contou a Rodriguez o que tinha acontecido. Um evento após o outro, Rodriguez não conseguia fechar a boca em incredulidade.

            “Você conseguiu as missões mais incomuns graças a sua amizade com o instrutor. E o que? Você se tornou o sucessor da vontade de Zahab? Mas você descartou a oportunidade de se tornar um Escultor do Luar?”

        De olhos arregalados, Rodriguez foi pego de surpresa. Dever-se-ia notar que ele mal tinha recuado com as notícias de um reino vizinho subitamente invadindo Rosenheim sem uma preliminar declaração de guerra.

            ‘Zahab. Quem era ele?’

            Ele foi um dos poderes absolutos escondidos por trás das cenas no Continente.

         Rodriguez tinha encontrado Zahab algumas vezes através da influência da rainha Evane e começou a admirar a sua arte escultural e a sua técnica com a espada, reverenciando a personalidade e os talentos respeitáveis do escultor. Rodriguez tinha feito amizade com ele. Isso aconteceu cinquenta anos antes, a companhia entre um par de jovens inexperientes. O conselheiro tinha até mesmo aconselhado Sua Alteza a manter Zahab na Corte a qualquer custo.

            “Hmph, você rejeitou uma classe tão boa. Que tipo de classe que você quer ter, então?”

            “Qualquer coisa lucrativa combina comigo”.

            Rodriguez caiu em silêncio.

            ‘Talvez esse cara seja o cara. Aquele pelo qual eu estava esperando. A Vontade do Grande Imperador pode habitar nele. Uma classe misteriosa cujas tradições gloriosas podem ser rastreadas até os tempos antigos’.

            Geihar Von Arpen, o lendário imperador que havia conquistado todo o continente, o sangue dele fluía no sábio.

            ‘Ele ainda precisa provar o seu valor através de tribulações. Conseguiria ele passar pelo teste final? De qualquer forma, é ele quem será testado, não eu’

            O sábio pensou e, em seguida, disse em um tom sério:

            “Weed-nim”.

            “Sim senhor?”

            “Eu tenho uma missão para você, embora você deva ser mais paciente do que uma lagarta, mais disposto a sobreviver do que uma barata e mais teimoso do que um sanguessuga, ou você falhará. Você está qualificado para esta missão?”

            “…..”

            “O que há com esse olhar?”

            “Eu não gosto do jeito que você descreveu ela, mas eu posso te dizer com orgulho que eu estou pronto para fazer qualquer coisa”.

            “Sua confiança toca meu coração. Você olha como se você pudesse até mesmo mastigar larvas até a última gota de suco”.

            “…..”

            “Faça o que eu digo e a missão lhe dará uma classe. Eu advirto-o, no entanto, que ela testará a sua vida. Você é livre para deixar o meu conselho sobre a mesa se você estiver com medo”.

            Weed finalmente sentiu alguma desconfiança em relação ao esquema de Rodriguez.

            “Certo. Eu estou dentro”.

            “Você já ouviu falar do Covil de Litvart?”

            “Sim senhor”.

            O Covil de Litvart era coincidentemente o destino da missão que o instrutor tinha mencionado a Weed. É ou não uma coincidência? Você nunca saberá.

            “Então, eu serei poupado da inconveniência de elaborar sobre os detalhes. Sob o seu próprio poder, destrua a nuvem de maldade que se arrasta dentro desse covil. Uma vez que o mal for vencido, será concedida a você a classe que lhe é destinada”.

            *Ting*

Operação de Procura e Destruição no Covil de Litvart II:

Há uma centena de monstros habitando o Covil de Litvart. Mate cada um deles pelo menos uma vez e prove a você mesmo a dignidade de sua classe honorável. A realização desta missão abrirá um caminho correto para o seu destino.

Dificuldade da Missão:

Desconhecida

Requisitos da Missão:

Nenhum

            Weed leu e releu as instruções repetidas vezes, passando um pente fino.

            ‘Esse velho está definitivamente tramando alguma coisa!’

            Weed pensou rapidamente.

            Caso contrário, Rodriguez não teria dado a Weed uma missão relacionada com o Covil de Litvart, um calabouço subterrâneo de cinco andares. O covil tinha sido completamente explorado, a maior parte dele estava divulgada ao domínio público.

            Muitos usuários estavam caçando monstros lá, dia e noite. Monstros entre os níveis 20 e 50 frequentavam o covil, enquanto Weed ainda estava apenas no nível treze.

            Porém, os atributos adicionais que ele havia melhorado no Centro de Treinamento o fortaleceram, de modo que ele era quase tão forte quanto um guerreiro comum de nível 40. Tomando habilidades passivas tais como o domínio de espada e a habilidade artesanal em conta, Weed estava confiante de que ele poderia derrubar até monstros do nível 50.

            Destruir monstros no Covil de Litvart seria difícil para Weed, mas longe de ser impossível.

            ‘Há algo por trás disso, eu não sei o que, mas é alguma coisa. Eu posso confiar que o sábio não está mentindo para mim, mas eu também sei que ele não está me dizendo a verdade completa. Independentemente disso, não importa o que ele está escondendo de mim, se eu terminar esta missão, eu certamente terei uma boa classe’.

            Mas o cheiro de uma armadilha nesta missão era inconfundível.

            ‘Não se trata de caçar monstros regulares no covil. Então, o quê?’

            Os olhos de Weed brilharam acentuadamente.

            “Diga-me, Weed-nim. Você pegará ou largará a missão? Para a sua informação, eu não posso chegar a uma alternativa melhor. No entanto, eu não forçá-lo-ei. A decisão é totalmente sua”.

            Depois de um breve momento de malabarismo mental, Weed concordou:

            “Com respeito, eu de bom grado aceito o seu conselho, conselheiro”.

            *Ting*

Você aceitou a missão!

            “Bom. Volte aqui quando você acabar com todos os monstros no covil. No caso raro de você realmente terminar esta missão. Eu tenho algo para lhe dar. É certo, porém, que você com certeza falhará”.

            Rodriguez riu traiçoeiramente.

***

            Weed foi direto para o Centro de Treinamento:

            “Eu preciso chegar lá a tempo”.

            Os passos de Weed foram rápidos porque ainda era antes da pausa para o almoço. Quando ele entrou no Centro, o instrutor estava prestes a enfiar uma colher em sua lancheira.

            “Boa tarde, honrável instrutor”.

            “Você me surpreendeu, Weed-nim! Eu senti tanto a sua falta”.

            “Eu também senti sua falta. É por isso que eu estou aqui”.

            “Venha aqui e sente-se. Sirva-se antes de nós começarmos a trabalhar”. (NT = Nota barafael: Pô! Esse Weed é um fila-boia)

            “Obrigado, senhor”.

            Com um bom timing, Weed cuidou de almoçar. A lancheira era enorme, exatamente proporcional ao tamanho do corpo triplo-G do instrutor. Subtrair a porção de Weed da lancheira era como tirar um copo d’água a partir do oceano.

            “A propósito, instrutor, falando da missão que você mencionou outro dia…”

            “Oh, aquela”.

            “Sim. Eu gostaria de me juntar”.

            “Haha. Eu sabia que isso iria acontecer então eu pedi a eles para deixarem um espaço para você. Eu fico feliz que você queira a missão”.

            O instrutor generosamente favoreceu Weed.

            *Ting*

Uma Operação de Limpeza no Covil de Litvart:

O Reino de Rosenheim vem sofrendo enormemente com os monstros, os quais ascenderam em número durante a última década.

O Rei Theodarren, governante justo e benevolente de Rosenheim, emitiu um decreto real para ordenar um cavaleiro distinto, Sir Midvale, a explorar o Covil de Litvart e exterminar os monstros. Erradique os monstros no Covil de Litvart com o Sir Midvale e seus soldados.

Dificuldade da Missão:

E

Requisitos da Missão:

Falhará se você morrer.

Você aceitou a missão!

            “Você tem um dia sobrando até que as tropas saiam amanhã. Por que não vem e fica na minha casa?”

            “Desculpe-me, instrutor. Eu tenho que cuidar de algumas coisas para a missão”.

            “Que pena. Eu queria convidá-lo para jantar”.

            “Jantar?”

            “Sim. Minha esposa disse esta manhã que ela estava indo cozinhar churrasco de porco”.

            A boca de Weed encheu-se de água com a ideia de churrasco de porco. Churrasco salgado e picante! Essa tentação era irresistível.

            “Para ser honesto com você, eu sempre quis visitar a sua casa”.

            “Haha, eu sabia disso também”.

            “Hehe”.

            Weed nunca teve vergonha dele estar vivendo uma vida obediente ou servil. Porém … ele… ele estava apenas enjoado de pão de centeio. Royal Road reproduz todos os aspectos da realidade, até mesmo o gosto, de modo que sushi de peixe que era capturado minutos atrás na verdade tinha o sabor fresco e a comida vencida endurecia e apodrecia. O pão de centeio não era exceção.

            Nos últimos dois meses, Weed tinha comido apenas pão de centeio e a sua língua estava tomada com o sabor do centeio. A visão de pão de centeio o fazia se sentir enjoado. Um churrasco de carne de porco seria especialmente refrescante. Além disso, era uma refeição grátis de valor inestimável.

            “Então, eu voltarei à noite, instrutor”.

            “Claro, Weed-nim. Até logo”.

            Weed tinha aceitado outra missão no Centro de Treinamento.

            ‘Agora todos os três slots na janela de missões estão preenchidos’.

            A principal missão era ‘A vontade de Zahab’, a qual estava fora de questão por ora, enquanto as outras duas missões formavam uma combinação.

            ‘Agora, o problema é que a missão de Rodriguez não é o que parece ser … mas não importa’.

            Weed preparou-se para enfrentar o desafio.

            No pior caso, ele morreria, e daí? Ele não queria morrer sem sentido, mas algumas dificuldades eram sempre esperadas.

            ‘Agora eu preciso ficar preparado. Primeiro, eu vou às compras para a viagem ao Covil de Litvart’.

            Weed caminhou para o centro da cidadela. Pedestres em trajes chiques passavam por ele, tendo conversas vibrantes. Um grupo de usuários montaram quiosques na rua e vendiam coisas.

            Weed foi para uma oficina de ferraria e comprou um arco e muitas aljavas de flechas (NT = Nota barafael: https://pt.wikipedia.org/wiki/Aljava – Aljava é um nome de origem árabe utilizado para designar um compartimento/estojo usado para carregar flechas).

            “Verificar Item: Bow of Theo Grande” (NT = Nota João: Arco do Grande Theo).

Arco do Grande Theo

Durabilidade:

50/50

Ataque:

5~6

Velocidade de Múltiplos Tiros:

4

Um arco curto que está amarrado com um músculo de orc, construído rudemente. Ele tem baixa precisão, mas um substancial poder de ataque, o que é conveniente para novatos no tiro com arco e flecha.

 

            O arco custava 1 moeda de ouro e 20 moedas de prata, mas Weed nunca pagaria o preço total por qualquer coisa. Ao apresentar uma estátua em forma de borboleta para a dama do caixa, ele abaixou o preço para não mais do que uma moeda de ouro.

            Ele tinha descoberto acidentalmente que ele poderia conquistar os corações das mulheres fornecendo esculturas como presentes.

            ‘Domínio Escultural. É útil apenas em ocasiões triviais’.

            Weed também comprou um estoque de pão de centeio, embora ele estivesse enjoado e cansado dele, o pão é pelo menos melhor do que morrer de fome e, quando uma briga irrompe, ele reduz a taxa na qual o fator de saúde cai. Quando o fator de saúde cai abaixo de 30%, um usuário fica mais lento e perde um pouco de vida temporariamente.

            A mochila dele estava lotada com aljavas, ervas e pão. Assim que Weed ficou satisfeito com tudo presente e correto, ele voltou para encontrar o instrutor.

            “Eu estou pronto, instrutor”.

            “Oh, eu vejo. Vamos para a minha casa agora. Eu tenho uma convidada esperando”.

            “Convidada? Você convidou alguém mais para jantar, instrutor?”

            “Eu não a mencionei?”

            O instrutor parecia um pouco confuso e, em seguida, recuperou rapidamente a compostura.

            “Ela é uma garota legal. Eu tenho certeza de que você gostará dela”.

            Por mais estranho que soasse, Weed casualmente colocou o assunto de lado e relaxou.

            O instrutor segurou a mão de Weed e caminhou para a sua casa. A mão dele era tão peluda quanto a de um gorila.

            Weed franziu a sua testa:

            “Você pode muito bem soltar a minha mão, instrutor”.

            “Certamente não. Eu tenho medo que você possa se perder de mim”.

            “Desculpe-me?”

            Weed finalmente chegou à casa do instrutor.

            Ele não tinha nenhuma dúvida de que quando ele abrisse a porta, ele veria a família mais feliz do mundo, com uma lareira ardente preenchendo a sala com ar quente.

            Já havia sido dito para Weed que o instrutor tinha se casado com uma mulher da raça bárbara, um verdadeiro amor que podia superar a barreira da raça, mas eles ainda não haviam tido filhos.

            Quando a porta abriu, no entanto, Weed foi surpreendido por uma menina sentada à mesa de jantar.

            ‘Incrível…’

            Por um momento, a beleza da garota tirou o fôlego de Weed. A cena que o confrontava era divina, mas ele logo desceu à terra.

            Já que a menina foi convidada para a casa do instrutor, Weed tinha assumido que ela era outro NPC. No entanto, ela era um usuário como ele.

            Pela sua espada e armadura de aparências caras, ele poderia dizer que ela era um usuário de nível elevado. No entanto, não foi somente isso que chocou Weed. Não, o que mais chocou Weed foi o nome dela. O nome da menina estava piscando em vermelho brilhante.

            Um usuário podia esconder a sua verdadeira identidade, às vezes fingindo ser um NPC enquanto ele quisesse que fosse assim, mas um assassino que PKlizou (NT = Nota João: PK = Player Killer, assassino de jogadores, PKlizar = Matar jogadores) um ou mais usuários tem prontamente negado o direito à privacidade.

            Um nome vermelho e um diamante sangrento sobre a testa, o sinal de um assassino. É o sinal de alguém que matou um companheiro usuário.

            “Calma, Weed-nim. Agora você entende por que eu estava segurando apertado a sua mão”.

            Weed tentou fugir, mas sua tentativa desesperada falhou porque o instrutor estava segurando a sua mão.

            “Instrutor”.

            “Huh?”

            “Eu não sabia que você estava tão ansioso em se livrar de mim”.

            “Huhu … então agora você sabe”.

            O instrutor sorriu traiçoeiramente e Weed relaxou um pouco. Ele reconheceu que se o instrutor o quisesse morto, este homem preferia ter sujado as próprias mãos do que deixar para outra pessoa fazer por ele.

            “Por favor, sente-se, deixe-me apresentá-los um ao outro. Este é Weed, o seu nível é baixo, mas ele passou pelo programa de treinamento básico perfeitamente”.

            Weed curvou-se levemente para a menina, mas ela o ignorou, mal inclinando a sua cabeça.

            “Esta é Seoyoon. Ela também passou pelo treinamento recentemente. Ela visita a minha casa uma vez por mês para jantar com a gente”.

            “Oi. É um prazer te conhecer”.

            Weed cumprimentou Seoyoon educadamente, mas inexpressivamente ela sequer se preocupou em mover os seus olhos em direção a ele. Foi uma clara demonstração de despreocupação sincera.

            ‘Você não quer sair com novatos humildes ou o quê? Se eu não tivesse que estar no mesmo ambiente, eu não gostaria de me associar com você também’.

            Naquele exato momento, o instrutor desculpou-se e arrastou Weed para um canto:

            “Sinto muito. Peço desculpas pela grosseria dela”.

            “Não, está tudo bem, senhor”.

            “Ela é basicamente uma boa menina. Ela só não sabe como falar. Ela é a coisa mais próxima que eu tenho de uma irmãzinha. Parece que ela é desconfiada em relação a outras pessoas. Eu a convidei porque eu acreditava que ela pudesse abrir a mente dela para você. Ufa”.

            “Está tudo bem, eu não me importo”.

            No entanto, Weed não tinha nenhuma razão para estender a sua mão para esta menina chamada Seoyoon. Ele achava inútil conhecer um assassino ou mesmo um NPC.

            “A propósito, você se importaria se eu desse uma mão para a Sra. Lancer?”

            “Você é bom em cozinhar?”

            “De modo algum. Ainda assim, uma mão amiga ainda é uma mão na cozinha. Ela pode me ensinar como cozinhar”.

            “Sinta-se à vontade”.

            Como uma bárbara por natureza, a mulher do instrutor era gigante. Seguindo suas ordens, Weed diligentemente fatiou o lombo do porco e o mergulhou no molho. Como ele estava trabalhando duro, Seoyoon arregaçou as suas mangas e entrou na cozinha. Ela sentiu vergonha de ser a única a se sentar sozinha e de forma ociosa na mesa.

            Ela veio até Weed, ficou de um lado e o observou a cortar a carne. Ela entrou em cena para ajudar, mas ela não sabia o que fazer primeiro. Weed a dirigiu para uma montanha de pratos.

            “Limpe esses pratos, por favor”.

            Weed esperava que Seoyoon fosse rejeita-lo, mas para a sua surpresa, ela pegou os pratos e agachou-se no chão para enxagua-los. Eles ganharam crédito com a anfitriã por seu trabalho duro.

            “Você está fazendo bem”.

            “Obrigada, senhora”.

            “Você tem mãos abençoadas. Você quer aprender habilidades de culinária?”

            Esta proposta era exatamente o que Weed estava esperando ouvir ou, então, por que ele se incomodaria de molhar as suas mãos?

            “É claro, senhora. Muito obrigado por sua gentileza”.

            *Ting*

Nova Habilidade: Cooking (NT = Nota João: Culinária)

            Como se algo tivesse ocorrido a ela enquanto observava Weed, Seoyoon também ‘pediu’ a mulher do instrutor para ensiná-la como cozinhar com alguns movimentos ágeis com suas mãos.

            Habilidades de Culinária, elas são habilidades simples que você pode aprender em qualquer lugar ao pagar uma taxa de adesão para a Guilda dos Chefs ou por servir como um aprendiz em um restaurante. Sem dúvida algo que vale a pena também.

            O churrasco de carne de porco em uma bandeja grande finalmente foi servido à mesa. A carne foi assada até dourar, cozida deliciosamente. O cheiro se misturou realisticamente na realidade virtual. Weed prontamente pegou uma faca e um garfo.

            *Glare* (NT = Nota João: olhar intenso)

            De repente, o instrutor ficou cauteloso em relação a Weed.

            “Você é um convidado, Weed-nim. Não coma muito”.

            Que tipo de anfitrião criticaria um convidado na mesa de jantar?

            Ele não era mais o instrutor viril do Centro de Treinamento. Em seu lugar estava um orc perverso expondo a sua ganância pela comida sobre a mesa. Um orc de nível duzentos, é o que ele era.

            Porém, Weed não era do tipo que facilmente sucumbia à chantagem em face de tal comida.

            “Eu ouso discordar, instrutor”.

            “Você não está concordando comigo?”

            Weed se sentiu subitamente pressionado, cuja pressão era maior do que ele podia suportar. Ele sentiu-se tonto e a sua mão segurando a faca estava trêmula.

            ‘Droga!’

            Weed engoliu em seco e olhou para o lado.

            Ele tinha olhado para Seoyoon para ver como aquela menina de aparência frágil estava lidando com isso. Este era o mundo de um jogo de RPG de fantasia. O nível governava e ela pareceu não estar afetada.

            ‘Esta menina tem, pelo menos, um nível próximo dos duzentos e a esposa bárbara também’.

            Weed pensou.

            A esposa do instrutor, uma das bárbaras que veneravam as leis da natureza, especialmente a da sobrevivência do mais apto, ignorava os apuros dos fracos.

            Como um bárbaro era fisicamente superior as outras raças, foi apenas Weed que foi ameaçado pelos olhares de intimidação assassina do instrutor. Ninguém ficou do lado dele.

            Porém, era Weed. Ele não era a pessoa que poderia transformar inimigos em amigos e amigos em apóstolos?

            “Honrável instrutor, por favor, deixe-me falar”.

            Lutando contra o tremor em seu corpo, Weed apenas conseguiu abrir a sua boca.

            “O que! Se você tem alguma coisa a dizer, solte a faca e o garfo em primeiro lugar, então nós podemos conversar agradavelmente até o fim dos tempos”.

            “Sua bela esposa tem exibido tal habilidade e senso culinário excepcional nesta refeição. Eu já estou intoxicado com o cheiro e ele preenche a minha cabeça com como deve ser o gosto. Uma vez que eu comer isso, a memória deverá ser guardada para sempre”.

            O instrutor caiu em sua risada característica.

            “Ela é uma grande cozinheira. Eu estou orgulhoso dela”.

            “Absolutamente. Ela é sua esposa afinal. O churrasco parece maravilhoso”.

            “Oh querido…!”

            A Sra. Lancer cutucou o seu marido. Ela estava aparentemente lisonjeada pelo elogio doce de Weed.

            “É verdade, onde mais você pode ter a chance de colocar as suas mãos em tal deliciosa refeição? Sirva-se, Weed-nim”.

            Como diz o ditado, uma esposa é o orgulho do marido.

            O instrutor provou que ele era um otário quando se tratava de sua esposa. De qualquer forma, a refeição estava ótima. Não só o churrasco de porco, mas também os acompanhamentos que a anfitriã havia cozinhado usando uma receita a partir da Província do Norte, os quais encantaram a língua de Weed.

            “Yum, yum. Está tão bom, senhora. Você é a melhor. Eu estou com inveja do Sr. Lancer que pode comer suas refeições deliciosas todos os dias”.

            “É verdade, é verdade”.

            Disse o instrutor, com um sorriso de aprovação.

            Weed afrouxou o seu cinto e relaxou. O instrutor riu cordialmente e Seoyoon obedientemente terminou o seu prato em silêncio como uma boneca francesa feita de gelo.

            Weed descansou a noite na casa e partiu para o portão da Cidadela cedo na manhã seguinte.

***

            Sir Midvale e sua tropa de trinta soldados de infantaria, os quais foram despachados para conquistar o Covil de Litvart, estavam acampados perto do portão.

            “Saudações. Você é o Weed-nim?”

            Perguntou um cavaleiro.

            “Sim, senhor”.

            Weed disse.

            Uma pequena investigação antes da missão nunca faz mal. Pelo que Weed tinha recolhido a partir das ruas, Sir Midvale pertenceu à Ordem Vermelha, a unidade fundamental do Exército de Rosenheim, onde ele havia realizado missões de alto perfil. Ele foi promovido recentemente, como dizia o rumor, a um Cavaleiro Real. Ele era um orgulho do reino, reverenciado como o epítome da cavalaria.

            “Nosso destino está longe. Demora cerca de três horas a cavalo”

            Disse Sir Midvale.

            “…..”

            Todos os outros soldados de infantaria, exceto por Weed, estavam montados em cavalos marrons. Ele estava carregando uma mochila e nunca passou por sua cabeça que ele precisava de um cavalo.

            Não teria feito qualquer diferença se tivessem lhe dito de outra forma, de qualquer modo. Um cavalo era uma mercadoria de elevado valor, que custava pelo menos 100 moedas de ouro.

            “Docke me pediu um favor. Então eu lhe emprestarei um cavalo por ora”.

            Disse Sir Midvale.

            “Obrigado, senhor”.

            “Vance, traga o cavalo”.

            Um soldado trouxe um potro de aparência triste. Ele foi arrastado à força por suas rédeas, resistindo com as suas duas patas traseiras. Mostrando dois dentes de ouro e ofegante, o potro parecia um malandro depravado.

            ‘Se eu montar nesse cavalo, a minha sorte será dada como morta para os próximos sete anos’.

            Weed pensou ironicamente.

            “Até que a missão esteja concluída, este potro será temporariamente atribuído a você”

            Disse Sir Midvale.

            *Ting*

Nome:

Arse Tipo: Neutro
Nível: 3 Título:

Garanhão

Espécie: Cavalo Fama:

-300

Estatísticas:

Vida: 30 Mana:

0

Atribuído à força punitiva obrigada à missão do Covil de Litvart. Este potro de raciocínio rápido muitas vezes tenta enganar o proprietário. Ele odeia água e recusa-se a galopar na chuva. Ele precisa de cuidados redobrados ou ele pode morrer de alguma doença.

P.S: Cuidado, ele peida frequentemente ~!

            “…..”

            A janela de status do potro estava frustrantemente colorida. Weed tinha ouvido uma vez que os cavalos puros-sangues eram difíceis, mas ele achou ultrajante o quão frágil era este potro.

            “Não será por muito tempo, mas vamos nos dar bem, de qualquer forma”.

            Weed levantou a sua mão para dar um tapinha no potro, mas ele mordeu a mão dele imediatamente.

            “Como você ousa!”

            Quando Weed olhou para ele, o potro virou e sentou-se em suas pernas traseiras.

            “Bom menino”

            Weed disse suavemente.

            No momento em que ele subiu nas costas do potro, um cheiro engasgante e não tão engraçado subiu a partir da parte traseira de não tão boa aparência do potro que, subitamente, deixou cair a sua cabeça para frente e, em seguida, deu um coice para trás com as suas duas pernas traseiras.

            “Ouch!”

            Weed foi arremessado pelo ato e caiu no chão miseravelmente. Esse único ataque levou embora setenta pontos de sua vida. Obviamente, o potro tinha tentado matá-lo com aquela ação.

            “Seu maldito asno!”

            Weed gritou.

            *Snort* (NT = Nota barafael: ato de bufar)

            Uma ligação foi formada entre Weed e o potro. Eles se olharam como se quisessem torcer o pescoço um do outro.

            “Eu nunca deixarei você subir em minhas costas, seu humano estúpido”.

            Era o que o potro parecia dizer.

            “Eu te espancarei até a morte um dia”.

            Era o que dizia a expressão de Weed.

            Um inédito duelo entre homem e animal estava ocorrendo. À beira de um desastre feio, Sir Midvale disse:

            “Se você estiver pronto, vamos partir agora”.

            Sir Midvale e as suas tropas começaram a marchar em direção ao leste. Weed pulou nas costas do potro e calmamente o montou.

***

            Seoyoon também tinha se hospedado na casa do instrutor. Ela não podia rejeitar a sugestão persistente da esposa dele para que ela ficasse. Na manhã seguinte, ela acabou topando com Weed várias vezes. Quando ela abriu a porta do quarto de hóspedes, aconteceu dele passar por lá.

            Porém, eles não fizeram contato visual, fingindo não notar a presença um do outro e foram embora sem se despedir.

            Quando Weed deixou a casa, Seoyoon o seguiu porque ela estava com vergonha de ser deixada para trás por si própria. Com olhos sem emoção, ela olhou para um espaço vazio onde ele tinha estado minutos antes.

            “Onde eu deveria ir agora?”

            Ela se perguntou.

            “Em qualquer lugar que eu queira ir…”.

            Ela respondeu a si mesma.

            Tal lugar não existia. Ao mesmo tempo, ela estava livre para ir a qualquer lugar.

            ‘Contanto que eu possa ficar longe desta memória dolorosa’.

            Seoyoon começou a caminhar em direção ao portão sul. Não que ela quisesse ir para lá. Ela só queria ir para um lugar deserto, um lugar ainda a ser explorado, em algum lugar infestado com monstros.

            Ela tinha começado a sua jornada perto do centro do continente, passando pela fronteira ocidental em busca de monstros mais fortes contra os quais lutar.

            ‘Eu quero ver monstros’.

            ‘Eu posso me soltar enquanto eu estiver lutando contra eles’.

            ‘Eu não preciso pensar em nada’.

            ‘Mesmo a verdade irrevogável de que eu era nunca fui amada na minha vida’. (NT = Nota João: não pense nisso S2)

            ‘Pare, Seoyoon. Mantenha-se forte!’

            Mesmo que Seoyoon não falasse com ninguém, estava longe de ser verdade que a sua mente havia deixado de funcionar e era mais fácil dizer que ela estava disposta a falar consigo.

            No entanto, abaixo da superfície congelada, a água agitava-se mais rápido assim que ela fazia perguntas para si mesma e continuava a respondê-las. Contudo, sobre a superfície, o rosto dela estava tão vazio de vida quanto qualquer sinal de expressão. Era como se o rosto dela tivesse sido esculpido em gelo.

            Uma conversa repetida aqui. Dito isto, ouvido aquilo. Pensamentos ecoaram no fundo da mente dela.

            Seoyoon sentia-se menos sobrecarregada quando ela lutava em meio a um bando de monstros. Assim, ela procurou batalhas sangrentas em masmorras cheias de monstros.

            Sempre ansiando por monstros mais fortes e mortais, ela não temia a morte. Ela nunca deixaria o fluxo de sangue da batalha secar.

            Uma Berserker que se mostrou digna de uma vida embebida em loucura e massacre, essa era ela, sempre encontrando a paz dentro de um campo de batalha.

________________________________________________________________

Tradutor: João

Revisão/Adaptação: barafael

Formatação: barafael

Edição: barafael

Fonte da tradução: http://royalroadweed.blogspot.com.br/2014/11/volume-1-chapter-6.html

________________________________________________________________

Capítulo Anterior  |  Próximo Capítulo

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s