LMS – Volume 1, Capítulo 10: O Papel de Weed na Força Punitiva

Versão em .pdf1: [LMSNovelBR] Volume 1 – Capítulo 10 – O Papel de Weed na Força Punitiva (nota integrada)

Versão em .pdf2: [LMSNovelBR] Volume 1 – Capítulo 10 – O Papel de Weed na Força Punitiva (nota rodapé)

Segue o capítulo abaixo:

——————————————–

Capítulo Anterior  |  Próximo Capítulo

capa v1c10

Volume 1

CAPÍTULO 10 – O Papel de Weed na Força Punitiva

            A força punitiva com destino até a Aldeia Baran!

            Localizado na fronteira da civilização humana, o Reino de Rosenheim estava cercado por monstros.

            O reino fortificou muralhas e organizou milícias em cidades da fronteira, mas os banquetes anuais dos goblins e orcs, que invadiam para saquear as colheitas do outono, ainda estavam sem controle, o que dava à Corte Real muita dor de cabeça.

            A missão da força punitiva atribuída à Darius era uma missão em grupo para assumir o controle da Aldeia Baran que havia caído nas mãos dos lizardmen (NT = Nota João: homens lagartos). Aqueles que se juntaram a força punitiva compartilhavam a mesma missão e ela era composta de três centenas de usuários que expulsariam os lizardmen para fora da aldeia.

            Este tópico estava sendo discutido ao redor da Cidadela de Serabourg pelos últimos dias. Mesmo os usuários de outros reinos vieram em massa para a Cidadela para se juntar a missão, tornando ela ainda mais lotada.

            Um membro que fizesse parte da missão receberia experiência, para não mencionar a fama em reconhecimento do seu serviço para Reino de Rosenheim. Todo mundo estava falando sobre isso, mas o assunto não tinha chego até Weed já que ele estava ocupado esculpindo estátuas em sua barraca de rua.

            Weed concordou em se reunir com seus antigos colegas primeiro. Eles o estavam esperando no centro da cidade.

            “Prazer em vê-lo novamente, Weed-nim”. (NT = Nota barafael: nim é um sufixo usado para se dirigir de maneira formal a alguém geralmente mais velho ou mais respeitado do que você)

            “Uau, quanto tempo sem te ver!”

            Surka e Irene cumprimentaram Weed calorosamente. As roupas delas tinham mudado muito durante a ausência de Weed.

            Surka usava uma bela túnica e Irene uma vestimenta clerical de cor branco-neve. Para Romuna, a maga, era um robe preto padrão.

            Elas estavam surpresas de que Weed ainda não tinha mudado a sua roupa.

            “Weed-nim, onde você esteve?”

            “É uma longa história…”

            Antes que Weed pudesse responder totalmente, Surka o cortou e disse:

            “Eu entendo. Você não entrou durante semanas, certo?”

            “…..”

            “Oh, você vai juntar-se a missão da força punitiva? Por favor, venha com a gente, Weed-nim!”

            Romuna enganchou o seu braço ao redor do braço de Weed como se fossem um casal. (NT = Nota João: Riajuu ಠ_ಠ   ლ(ಠ益ಠ)ლ)

            Pale, o ranger (NT = Nota barafael: https://pt.wikipedia.org/wiki/Ranger_(classe_de_personagem) – são guerreiros que possuem ligações com forças da natureza, a quem são devotados e buscam proteger. Acostumados com o ambiente selvagem, sabem de coisas relativas a esse meio, o que geralmente os torna excelentes rastreadores e caçadores, bem como peritos em sobrevivência, no D&D) os observava com um olhar ferido que enviou um arrepio para a espinha de Weed. Ele já havia sentido que Pale estava secretamente cortejando Romuna.

            Deslizando seu braço refém para longe do aperto firme de Romuna, Weed perguntou:

            “Qual é o nível de vocês agora?”

            “Eu estou no nível quarenta e oito. Eu morri cinco ou seis vezes em batalha, então eu sou o menor nível entre nós”.

            Surka disse timidamente.

            “Eu estou no cinquenta e um”, Irene disse.

            “O mesmo aqui”, disse Romuna.

            “Eu estou no nível cinquenta e três”.

            Pale disse, ainda perturbado com a cena anterior.

            Weed tinha sido informado que seus companheiros eram todos amigos na realidade, então eles sempre caçavam monstros juntos, nivelando assim a um ritmo idêntico. Ainda assim, era evidente que eles tinham passado por várias temporadas de caça sérias, pois tinham subido de nível mais rápido do que outros usuários típicos.

            Eles confidenciaram a Weed que eles haviam se retirado da faculdade temporariamente. Embora eles não tenham lhe contado mais, ele supôs que eles tinham, desde então, jogado Royal Road quase sem parar, sem dormir, enjaulados em seus quartos escuros como indivíduos isolados, socialmente reclusos.

            Pale logo estabeleceu que Weed viria junto com eles para se juntarem à missão da força punitiva:

            “Eles informaram que a exigência de nível era de trinta ou acima. Esta missão dá um bônus na experiência ganha. Você também pode ganhar alguma fama”.

            A força punitiva estava programada para encontrar inúmeros tipos de monstros. O alvo principal eram os Lizardmen que ocupavam a Aldeia Baran, mas as chances eram de que eles enfrentariam goblins relativamente menos perigosos.

            “A missão é um pouco arriscada, mas nós podemos pedir ajuda dos NPCs se houver uma emergência. Eu agora estou doente e cansado de aranhas e bandidos”.

            Pale fez uma cara horrorizada.

            Enquanto Weed estava fora, seus companheiros de equipe tinham caçado monstros em uma masmorra nas proximidades. Era uma masmorra de aranhas, onde as aranhas vermelhas e aracnídeos venenosos estavam à espreita por trás de cada estalactite. Veneno era curado por Irene, mas Pale ficou traumatizado por ser preso em uma teia pegajosa de aranha, lutando pateticamente contra aranhas gigantes que babavam sobre ele.

            Weed concordou, entendendo exatamente o que Pale havia passado. Ele tinha tido o seu próprio momento difícil ao esmagar vermes gigantes:

            “Não seria tão ruim participar na força punitiva”.

            “Nós damos as boas-vindas a você, Weed-nim. A propósito…”

            “Sim?”

            “Você achou a classe?”

            Até a classe dele era uma preocupação, pois Weed havia estado indeciso da última vez que eles formaram um grupo para caçar. Eles tinham, até mesmo, feito uma aposta particular de quando ele conseguiria uma.

            “Eu tenho uma classe, mas….”

            “Qual classe é? Diga-nos”.

            Irene, geralmente reservada, se aproximou de Weed com os olhos brilhando. Como uma sacerdotisa encarregada da cura e dos buffs que apoiavam os outros colegas de grupo, ela deveria saber sobre a classe de cada companheiro de equipe.

            Há tantas divisões apenas para a classe de guerreiro, para não mencionar outros ramos das classes de combate que se especializam em diferentes armas e estilos de combate. Tipos ‘tanker’ são fortes na defesa e vitalidade e causam danos com o poder de ataque e força.

            No caso de Surka e Pale, eles pertenciam às classes de suporte com maior agilidade, mas menos força e vitalidade em comparação com outros lutadores corpo a corpo.

            Além disso, paladinos, apelidados de cavaleiros sagrados, podiam usar o poder divino, incluindo Healing Hand (NT = Nota João: Mão Cicatrizante) para curar a si próprios, graças à estatística exclusiva de fé que eles possuíam.

            Weed coçou a sua cabeça:

            “Eu sou um escultor”.

            “Uau, isso é legal! Você escolheu uma classe artística”.

            Surka riu brilhantemente, mas o resto parecia menos satisfeito. O preconceito a um escultor, que estava associado com a fraqueza, estava profundamente gravado nos seus subconscientes.

            Na verdade, a classe de escultor é uma das classes de produção que não tinham nada a ver com habilidades de combate, por isso ela era privada de quaisquer efeitos sobre a força e vitalidade.

            Ainda assim, eles abraçaram Weed como um dos seus próprios do fundo de seus corações. Eles não eram insensíveis o suficiente para virar as costas para seu ex-colega de grupo só porque ele havia se convertido para uma das classes menos desejáveis.

            “Nós estávamos a caminho para nos juntarmos a Sir Darius na força punitiva. Venha conosco”, Pale disse.

            “Mas, você vê, eu sou um escultor”, Weed disse.

            “Não se preocupe. Nós podemos compensar no que lhe falta. Nós devemos nos apressar antes que alguém preencha o espaço vazio. O tamanho da força punitiva é limitado a trezentos usuários e duzentos soldados NPCs participantes em ordem de chegada”, Pale disse.

            “Vamos lá, Weed-nim”, Romuna disse.

            “Se você acha que você não está qualificado para uma vaga porque você é um escultor, nós lhe ajudaremos. Por favor?” Surka disse.

            Agora que Weed tinha divulgado a sua classe, ele ficou sem uma desculpa para dizer não.

            As mulheres sentiram-se tão maternais em relação a Weed que elas não poderiam abandoná-lo, mesmo que elas pensassem que ele era fraco. Além disso, Pale quase implorou para que ele se juntasse a missão da força punitiva para pagar o que Weed havia feito por eles anteriormente.

            Persuadido pela persistência deles, Weed dirigiu-se para onde as tropas de Darius estavam estacionadas.

***

            Duque Kanus realizou uma reunião ordinária para os cavaleiros. Todos os cavaleiros que estavam dentro da Cidadela, sem exceção, tinham sido chamados a participar. Na reunião, eles discutiram sobre como expulsar os monstros de Rosenheim, um plano de recrutamento e outras questões militares urgentes.

            “Você tem feito um excelente trabalho, Lorde Midvale, e os soldados que lhe atribuímos foram treinados com competência. Eu estou impressionado que os níveis de todos ultrapassaram o cinquenta”, disse Duque Kanus.

            “Isso não foi obra minha, Vossa Excelência”, disse Sir Midvale.

            “Hã? Eu pessoalmente lhe confiei esta tarefa. Diga-me o que aconteceu”. disse Duque Kanus.

            “Se você insiste, Vossa Excelência”.

            Sir Midvale disse e, em seguida, relatou em detalhes os eventos que aconteceram no Covil de Litvart.

            “Hmm … entendo”.

            Duque Kanus disse enquanto esfregava o bem cuidado bigode.

            Os outros cavaleiros também pareciam surpresos de que um estrangeiro, diferente de um nativo de Versalhes, tinha feito o trabalho tão bem. Os NPCs reconheciam a si mesmos como moradores nascidos no Continente de Versalhes, bem como que os usuários são homens livres enviados por Gaea, a Profeta Sagrada (NT = Nota barafael: Gaea vem da mitologia grega e é tida como a mãe-terra, um elemento primordial e latente de uma potencialidade geradora incrível). Eles tinham emoções, falavam e agiam como pessoas reais graças à sua inteligência artificial programada.

            “Um homem bom, de fato. Lorde Midvale, por que você não o recrutou para o Exército de Rosenheim?”, Duque Kanus perguntou.

            “Eu pedi para ele ser um oficial militar por duas vezes, mas ele disse que queria manter a sua liberdade e matar monstros por sua própria vontade”, Sir Midvale disse.

            “Ele é, de fato, um homem livre”, Duke Kanus disse impressionado.

            “Sim, Vossa Excelência. Embora ele não pertença ao nosso reino, parece-me que ele é um homem que deve dedicar seu tempo novamente para Rosenheim”, disse Sir Midvale.

            “Se você diz, nós veremos a espada dele ao nosso lado novamente algum dia”.

            Duque Kanus disse e deixou o assunto sobre o Covil de Litvart, indo para o próximo.

***

            No caminho para Darius, Weed parou em uma mercearia.

            “Weed-nim, por que parar aqui?”

            “Você verá”.

            A mercearia estava lotada com muitos clientes. Eles eram em sua maioria garotos de entrega de restaurantes na Cidadela.

            Um garoto, vestido com o que se assemelhava ser a vestimenta de um mensageiro, gritou:

            “Eu quero peitos frescos!”

            “Puhaha, você está no lugar errado, jovem tigre. Um bordel é na próxima esquina da rua e eu espero que você tenha uma identificação com foto”, disse o lojista.

            “Droga. Eu quero peitos de frango!”

            O rapaz fez uma careta, mas o lojista, liso como uma língua de cobra, apenas sorriu.

            “Somente os peitos de frango? Você também não precisa de ovos?”

            “Oops, eu esqueci… Eu também preciso de ovos”.

            “Fique aí. Eu lhe darei os ovos quando as galinhas botarem”.

            “E sobre as galinhas?”

            “Quando os ovos chocarem, senhor”.

            Irene riu com a conversa entre o lojista e o entregador.

            “Criança engraçada”.

            “Eu acho que ele conseguiu um emprego em um restaurante porque ele não pode sair da Cidadela pelas primeiras quatro semanas”.

            “Má escolha. Por que ele decidiu trabalhar em um restaurante onde não há muito a aprender?”

            Aos olhos de Pale, não era sábio fazer uma carreira em um restaurante.

            Iniciantes eram aconselhados a tomar missões que pagam bem ou, no caso de aspirantes a feiticeiros, a ler e aprender muitas coisas em uma biblioteca. Isso é para que eles possam comprar armas e equipamentos mais avançados, caçar monstros mais facilmente e subir de nível mais rápido a longo prazo.

            Weed, no entanto, discordou da opinião de Pale:

            “Se você trabalhar em um restaurante, você pode aprender a habilidade culinária. Vale a pena”, Weed disse.

            “Eu sei, mas de que adianta aprender uma habilidade inútil como cozinhar? Se você comprar o pão de centeio que é processado pelo feitiço da conservação de alimentos, ele durará um mês”, Pale disse.

            “Ele tem razão. Por que nós precisamos aprender a cozinhar quando nós podemos aumentar o fator de satisfação com facilidade?”, Surka perguntou.

            Para Weed, Pale e Surka soavam estúpidos ao ponto da infantilidade. Eles subestimavam a habilidade culinária tanto quanto eles haviam desprezado a maestria escultural, sem saber que impacto grandes refeições poderiam ter sobre os atributos.

            ‘Essas pessoas não sabem como é uma vida pobre’.

            Weed murmurou para si mesmo.

            Os olhos de Weed escureceram. Aqueles que realmente passaram por momentos de dificuldade financeira, não subestimam a importância da habilidade culinária. Imagine que você seja forçado a comer apenas pão de centeio quando você for caçar monstros no campo. Se você for um novato de nível baixo, quase sem dinheiro, você suportará porque você não tem alternativa. Porém, uma vez que o seu nível atinge um ponto em que você pode se dar ao luxo de comprar mais comida deliciosa, a sua língua rejeitará automaticamente o pão de centeio.

            Na verdade, mesmo Pale nem sempre colocava o pão de centeio em sua boca. Quando se trata do essencial, as pessoas são as mesmas. Elas têm a mesma lista de desejos e quando eles a cumprem, ela crescerá mais longa por si só. Em particular, as necessidades básicas de moradia, roupas e alimentos são inseparáveis da vida.

            Além disso, a habilidade culinária funciona na vida real. Conforme a habilidade culinária amadurece, ela lhe dá uma lista de receitas disponíveis com base nos tipos de ingredientes que você tem agora. Você pode tentar uma receita nova no jogo virtual e ela ficará na sua cabeça depois que sair do jogo. Se você dominar a habilidade culinária, pelo menos, ao ponto de um estágio avançado, você nunca terá que se preocupar sobre achar um emprego, porque qualquer restaurante irá contratá-lo de braços abertos.

            Em outras palavras, isso significa que a realidade é tão exatamente compreendida tal como ela é em um mundo virtual. Royal Road é como um jogo de realidade virtual detalhado e realista, a tal ponto que o que é aprendido no jogo virtual também pode ser aplicado na realidade.

            É claro, a maioria dos usuários que não se incomodam em aprender habilidades artesanais tão amplamente quanto Weed nunca compreenderão o que elas realmente são até eles experimentarem com as suas próprias mãos.

            ‘Eu me pergunto se eles nunca vão querer experimentar, de qualquer maneira’

            Weed antecipou que o valor da habilidade culinária ficaria maior conforme os usuários passassem do nível cem.

            As refeições que Weed preparava com a habilidade culinária básica tinham um efeito bônus temporário sobre a vida, então o que seria quando um mestre apresentasse a sua habilidade? (NT = Nota João: Aí você pode se chamar de Souma)

            ‘Eu tenho certeza que até mesmo um casal feliz se mataria para saborear uma migalha da comida feita por tal habilidade’.

            Não só o sabor dos alimentos, mas também o bônus suplementar seria espetacular.

            Duro, insípido, o pão de centeio que custava três moedas de cobre vs. a culinária francesa que tem gosto de céu e aumenta várias estatísticas! O concurso acaba antes de começar.

            Weed imaginou que refeições preparadas por um grande chef custariam pilhas de ouro para saborear a comida.

            Ele pensou que o valor das estátuas permaneceria superficial, mas que a habilidade culinária, contanto que ela fosse uma parte integrante da vida, nunca diminuiria a sua influência na vida diária.

            Os rankers (NT = Nota João: são os jogadores que ocupam o topo da classificação do jogo) ansiariam pela melhor comida que eles pudessem encontrar e o valor de um cozinheiro profissional atingiria o topo.

            ‘Bem, algumas pessoas poderiam ter previsto isso antes. Cozinheiros estão entre os profissionais mais zelosos em guardar os seus segredos. Eles devem estar formulando suas próprias receitas e melhorando a sua habilidade culinária’.

            Weed virou-se para seus companheiros com uma cara séria e disse:

            “Eu não posso negar-lhe a escolha de desdenhar as habilidades artesanais como um todo, já que as habilidades de combate são importantes. Porém, eu acho que as habilidades artesanais poderiam acabar sendo as habilidades mais necessárias no futuro. Todas as habilidades artesanais têm algo em comum e elas também ajudam na capacidade de combate de um personagem. Eu sugiro que você aprenda a habilidade culinária. Ela é essencial para a sua vida diária”.

            “…..”

            “Eu sinto muito”.

            Surka disse em voz baixa.

            “Eu esqueci que você era um escultor e eu estava falando impensadamente mal dos artesãos. Eu lamento muito”, Pale disse.

            Surka, Pale e Irene estavam vermelhos de vergonha.

            Eles pensaram que Weed estivesse com raiva porque eles tinham menosprezado a habilidade culinária, uma das habilidades artesanais, direto na sua cara.

            “Não foi isso o que eu quis dizer. Vocês me entenderam errado”.

            Weed disse enquanto sacudia a cabeça.

            Não importa o quanto ele mostrasse para eles, eles não veriam até que sentissem a necessidade de ver a habilidade.

            A mercearia tinha uma atmosfera amigável, uma vez que divertia amplamente os clientes regulares.

            Weed atravessou pelos clientes e caminhou até o caixa.

            “Olá”, disse Weed.

            “Olá. Eu acabei de ouvi-lo. Você tem a ideia certa sobre a habilidade culinária!”, disse o lojista.

            “Obrigado”.

            “Seu rosto parece familiar para mim…”

            “Sim. Eu vim aqui para fazer compras alguns dias atrás”.

            Quando Weed melhorou a sua maestria escultural e a habilidade culinária ao mesmo tempo, ele tinha visitado apenas esta loja para comprar gêneros alimentícios em atacado, por uma razão simples: o preço baixo.

            A maneira mais fácil de maximizar os lucros é sempre minimizar os custos através da compra de materiais em grandes quantidades de uma só vez para conseguir com um desconto. Weed sempre tinha usado a loja para as suas compras, mas foi a primeira vez que ele falou com o lojista.

            “Bem. Obrigado por visitar a minha loja. A propósito, você está tomando o caminho de um cozinheiro agora?”

            “Não. A minha classe principal não é a de um cozinheiro, mas eu sei o valor da habilidade de cozinhar”.

            “Bom. Então, o que eu posso fazer por você?”

            Os olhos do lojista brilharam, avaliando Weed.

            Ele já havia coletado informações de que, a partir da conversa com o menino da entrega, o lojista era um usuário.

            “Especiarias e molhos”, disse Weed.

            “Hmm, nós temos muitos tipos diferentes de especiarias”, disse o lojista.

            “Há sal, açúcar e pimenta, e eu posso mostrar-lhe especiarias locais extraordinárias, tais como especiarias da terra dos elfos e garrafas de seiva espremida de algumas plantas do norte”.

            No vasto continente, a abundância de itens com gostos distintos era colhida pelos agricultores locais e comercializada através das caravanas.

            “Eu não preciso de especiarias extraordinárias. Apenas as básicas”.

            “Ótimo. Somente os tolos querem impressionar os outros procurando algo especial. E sobre a qualidade?”

            “É claro, eu quero a melhor”.

            “Quanto?”

            Weed contou quanto dinheiro ele tinha em seus bolsos. Ele não tinha vendido seus vários tipos de minérios ainda, exceto a prata que ele tinha recolhido dos vermes rainhas.

            Ele estava guardando eles para um uso futuro, quando ele melhorasse a sua habilidade de reparação o suficiente para permitir-lhe transformar os minérios.

            “Eu tenho vinte e sete moedas de ouro agora. Eu quero comprar esse tanto”, Weed disse.

            “OK. Eu lhe darei algum extra”, disse o lojista.

            Quando os companheiros de Weed ouviram a conversa entre ele e o lojista, eles sentiram uma compreensão mútua e respeito fluindo entre eles como se velhos amigos tivessem se reunido para beber.

            Na verdade, o lojista era um usuário que já tinha tomado o caminho da habilidade culinária. Quando viu Weed, ele percebeu que um forte rival da última onda usuários tinha aparecido.

            Weed também reconheceu o lojista como um precursor no campo da culinária, de modo que eles não precisavam dizer uma palavra. Apenas o contato visual lhes disse o suficiente.

            Ele arrumou as especiarias e molhos que havia comprado da mercearia em sua mochila.

            Uma vez que ele estava satisfeito de estar totalmente preparado para uma nova jornada, ele dirigiu-se para o campo da força punitiva de Darius com os seus companheiros.

***

            A força punitiva ligada à Aldeia Baran já era o assunto da cidade, por isso havia muitos usuários que estavam ansiosos para se juntar à missão.

            Darius se sentou em uma cadeira pequena, enquanto entrevistava os candidatos para a missão.

            “Próximo, por favor”.

            “Olá, eu sou Cochran, arqueiro de nível 68. Eu sou bom em tiro múltiplo e a minha arma é o Lasante’s Bow (NT = Nota João: Arco de Lasante)”.

            “Aprovado”.

            Os próximos da fila eram o grupo de Weed com Pale em primeiro plano, o qual andou até Darius ansiosamente.

            Pale falou como representante de seu grupo:

            “Nós todos estamos no mesmo grupo. Níveis nos cinquenta. Uma sacerdotisa, um mago de batalha no elemento fogo, um ranger, um monge e…”

            Pale gaguejou antes de introduzir Weed porque ele tinha medo de que, quando fosse mencionado que Weed era um escultor, Darius ficaria bravo e os rejeitaria completamente.

            “Hmm, você tem um grupo equilibrado. Ótimo. E ele é…”

            Darius viu Weed e perguntou para Pale:

            “Ele é parte de seu grupo, também?”

            “Sim”.

            “Total de cinco. Isso se encaixa exatamente nos espaços vazios deixados no meu exército”.

            “Então…”

            “Vocês se juntarão a missão para retomar a Aldeia Baran?”

            Darius perguntou e uma janela de mensagem surgiu na frente dos olhos de Weed.

            *Ting*

Força Punitiva para a Aldeia Baran:

Além da fronteira do Reino de Rosenheim está uma imensidão de monstros. Muros foram construídos e as tropas foram enviadas a fim de afastar os monstros que invadem anualmente a pátria, mas houve uma abertura. Através da abertura, uma onda de monstros irrompeu e ocupou a Aldeia Baran.

Com os soldados de Rosenheim, salve a Aldeia Baran da calamidade e destrua os monstros.

Dificuldade da Missão:

D

Requisitos da Missão:

Deve ser completada em 30 dias.

            Pale disse com um grande sorriso:

            “É claro”.

            “Eu quero participar também”.

            “O mesmo aqui”.

            “Obrigado por seu convite para a missão”.

            “Sim”.

            Weed foi o último a aceitar a missão.

Você aceitou a missão.

            “OK. Vamos indo agora”.

            Darius ergueu-se e gritou:

            “Todo mundo na missão da força punitiva, por favor, venha aqui! Nós temos pessoas suficientes, por isso estamos partindo agora!”

***

            Não houve cerimônia para a força punitiva com destino a Aldeia Baran. Apenas um punhado de pessoas que eram amigos de alguns componentes das tropas se despediram.

            Três centenas de usuários com vestimentas coloridas marcharam do portão sul em direção à província ao sul, o destino era a Aldeia Baran. Eles pretendiam recuperar a aldeia que havia sido perdida para os lizardmen.

            “Hehe. Eu não estive tão longe da Cidadela antes. É como se nós estivéssemos em uma viagem de campo!”, Romuna disse.

            “Eu acho que eu deveria ter trazido cestas de lanche”, Irene disse.

            As duas meninas fofocavam agradavelmente.

            Ar fresco e um dia ensolarado! Era um dia perfeito para uma viagem de campo. Leões e lobos, aterrorizados com o tamanho das tropas, saíram do caminho, garantindo a segurança da viagem.

            Enquanto os companheiros de Weed estavam andando despreocupadamente, desfrutando de uma conversa fiada, Weed estava verificando as outras tropas, a maneira deles se vestirem e com o que eles estavam equipados.

            ‘O nível médio dos usuários na força é entre quarenta e sessenta. Ouvi dizer que o nível de Darius estava nos cento e quarenta e alguma coisa’.

            Darius tinha cinco companheiros de equipe: três guerreiros de espada, um ladrão e um guerreiro comum.

            ‘É melhor eu assumir que eles têm quase os mesmos níveis’.

            Weed concluiu que Darius tinha fechado seu batalhão com qualquer um que corresse para aceitar a missão, apenas para cumprir a exigência de três centenas de usuários envolvidos.

            Essa suspeita surgiu em Weed quando Pale inscreveu-se para esta missão e Darius foi muito negligente em aceitar o seu grupo. No caso de Weed, Darius não tinha sequer se incomodado em perguntar a sua classe e nível.

            ‘Eu acho que ele quer concluir esta missão da força punitiva tão logo seja possível. Um monte de recompensas está em jogo’.

            Um sentido de alarme estava invadindo a mente de Weed. Ele tinha feito a sua própria pesquisa sobre Darius, o líder dessa força punitiva, logo após Pale sussurrar e lhe introduzir a esta missão.

            Darius tinha uma má reputação. Era um fato estabelecido que ele faria qualquer coisa se isso avançasse em seu próprio interesse.

            “Todos ouçam”.

            Weed disse em voz baixa.

            “Huh?”, Surka replicou.

            “Quando nós chegamos na Aldeia Baran, não devemos confiar em ninguém facilmente”, Weed continuou.

            “O que você quer dizer com isso?”, Romuna perguntou.

            “Eu estou dizendo que nós estamos por nossa conta agora”, Weed disse.

            Pale olhou em volta, como se despertado pelas palavras de Weed. Então, ele concordou com Weed:

            “Entendo o seu ponto, Weed-nim”.

            “O que é isso? Eu não entendi”, Surka disse.

            Weed franziu as sobrancelhas para ela.

            “Nós conhecemos qualquer outro membro da força punitiva?”

            “Não”, Surka respondeu.

            “Você está tentando dizer que se um bom item cair, alguém pode nos matar para tomá-lo?”, Irene perguntou.

            A pergunta que ela levantou rapidamente congelou todos em seu grupo. Surka e Romuna até mesmo pareciam assustadas.

            “Isso não é o que eu insinuei. É claro que poderia acontecer, mas eu não acho que haverá qualquer um que seja ousado o suficiente para ultrapassar o seu limite na frente de tantas testemunhas da força punitiva. Se ele adquirir a marca do assassino nos matando, ele se tornará o inimigo público número um no meio de milhares de pessoas estranhas e elas irão matá-lo por vingança. Além disso, Darius não deixará que isso aconteça, porque isso poderia pôr em perigo a sua autoridade”.

            “O que o está incomodando, então?”, Romuna perguntou.

            “Nós não temos mais ninguém com quem contar. Esse é o nosso problema”, Weed disse.

            Weed levou os seus companheiros para um local um pouco longe das tropas que marchavam para evitar a espionagem, e acrescentou:

            “Apesar de nossos níveis baixos, nós lutaremos contra um grande número de monstros”.

            “Exatamente! Não é por isso que eles juntaram três centenas de usuários para a missão e emprestaram mais duzentos soldados do Exército de Rosenheim? Quando nós terminarmos, nós ganharem muita experiência e fama”, Surka disse.

            “Aí vem uma pergunta. Como é que você lutará quando uma batalha começar?”, Weed perguntou e continuou:

            “Sim, nós temos um monte de pessoas, mas nós somos apenas um bando de estranhos que não sabem nada sobre o outro. Nós não sabemos quais são as habilidades aquele ranger ali tem. Não sabemos se o homem metido a mago ao lado dele é realmente um mago ou apenas um impostor disfarçado. Imaginem se os lizardmen nos pegarem de surpresa, como você reagirá a eles? Como nós podemos ficar juntos e contra-atacar?”

            “Mas o que há de errado com isso? As incursões supostamente são assim, não são?”, Irene perguntou.

            Quando Irene levantou outra questão, Pale sacudiu a sua cabeça e continuou:

            “A maioria das missões de incursão limitam-se a matar um certo número de monstros ou a limpar alguma área em escala limitada. Eu não ouvi muito sobre as batalhas de grande escala contra um exército de monstros em um campo aberto como nesta missão. Nós temos três centenas de usuários e duzentos soldados aqui, mas quando uma batalha começar nós ficaremos presos aos nossos próprios companheiros de equipe e dispersaremos em segmentos”.

            “Que significa…”

            “Irene-nim, os números sempre mentem. Trezentos usuários e duzentos soldados não garantem que o grupo será tão forte quanto a soma de suas forças. Se nós suprimirmos os monstros, ficará tudo bem. Porém, se nós encontramos uma mudança inesperada dos acontecimentos, nós desmoronaremos como um castelo de cartas. Devemos ser cuidadosos”, Weed disse.

            Darius tinha estado muito impaciente e muito obcecado com a criação de uma vitória rápida.

            Já que havia muitos usuários que estavam ansiosos em participar da missão, ele poderia ter aceito os usuários de nível elevado para reduzir o risco de acontecer uma emergência. Embora o grupo de Weed provavelmente não teria sido capaz de se juntar, se esse tivesse sido o caso.

            No entanto, Darius estava determinado a ter todos os pontos de serviço público, de modo que ele havia rejeitado qualquer usuário de nível cem ou acima. Em vez disso, ele tinha preenchido os espaços da força punitiva com os usuários de nível baixo.

            Ele também ordenou aos soldados de Rosenheim a ficarem atrás e a seguirem o corpo principal a uma pequena distância.

            ‘Eu aposto que ele estava preocupado que os soldados pudessem pegar alguma experiência e fama que lhe pertenceria’.

            Se Weed tivesse sido o líder das tropas para a missão, ele teria feito exatamente o oposto. Ele teria deixado de fora os trezentos usuários e, em vez disso, faria bom uso dos soldados de Rosenheim.

            Se ele comandasse os NPCs a destruir o bando de lizardmen, a sua reputação pública e carisma subiriam.

            Você pode ganhar fama ou experiência de inúmeras maneiras diferentes, mas o atributo carisma precisa desse tipo de oportunidade para subir rapidamente.

            Weed mais uma vez relembrou aos seus companheiros de equipe para tomarem cuidado.

***

            As tropas paravam de vez em quando para um descanso e para fazer uma refeição. Os usuários na força punitiva mastigavam alimentos secos que eles trouxeram ou um conjunto de refeições leves. Os soldados de Rosenheim mantiveram uma rotina de três refeições por dia.

            “Como nós prepararemos as refeições?”, Surka perguntou.

            Pale e Surka lançaram um olhar casual em Weed como se eles estivessem falando sobre a próxima refeição. Eles sabiam a partir da conversa que tiveram na mercearia no outro dia que Weed era bom em cozinhar.

            Weed avançou para exibir a sua habilidade culinária.

            “Eu lhes servirei refeições. Pale-nim, você pode caçar coelhos ou cervos? Pelo menos dois de cada”, Weed disse.

            “Ok”, Pale respondeu.

            Pale pegou seu arco e em pouco tempo voltou com três coelhos e dois cervos. Como um ranger especializado em arco e flecha, ele agora podia disparar uma flecha em um coelho sem errar.

            “Agora eu prepararei uma refeição deliciosa para vocês”, Weed disse.

            Weed fez uma fogueira, descascou a pele dos coelhos e cervos, prendeu espetos através deles e os colocou logo acima do fogo. Girando-os pouco a pouco, ele os salgava e apimentava em toda parte.

            “Heeyah, isso parece ótimo”, Surka disse.

            “Nós podemos comer agora?”, Irene perguntou.

            Surka e Irene estavam babando com o cheiro da carne assada. A tentação de consumir a carne era quase irresistível.

            Weed já havia cativado as línguas e estômagos de Sir Midvale e suas tropas no Covil de Litvart. Eles tinham comido o seu guisado de carne como uma matilha de lobos famintos e até mesmo raspado o pouco que foi deixado no fundo das panelas.

            Comparado àqueles dias, a sua habilidade de artesanato, agora no nível intermediário, aprofundava o gosto da sua comida e o atributo de arte era aplicado para fazer a carne de coelho parecer mais apetitosa.

            Mesmo os espetos, que saiam através da boca do cervo até a sua parte traseira para mantê-lo acima do fogo, pareciam esplêndidos.

            “Por favor, sirvam-se”.

            Weed disse quando ele estava certo de que ele tinha tido tempo suficiente para torturar seus companheiros de equipe com a visão da refeição.

            Como diz o ditado, a fome é o melhor tipo de tempero.

            *Munch* (NT = Nota barafael: som de mastigação)

            Assim que Weed deu a seus companheiros a permissão para avançar, eles correram para o churrasco e começaram a rasgar a carne dos ossos, jogando-a em suas bocas.

            “Oh meu Deuuuus! É muuuuito bom!”

            Surka gritou com a boca cheia de comida.

            “Você é o melhor, Weed-nim”.

            Romuna disse dando um sinal de positivo com a mão engordurada. A boca dela estava revestida com uma gordura amarelada.

            Aparentemente sucumbindo à gula, um dos sete pecados, a sacerdotisa Irene estava comendo um coelho todo, enquanto Pale estava ocupado levemente roendo a perna traseira de um cervo. Eles estavam até lambendo os ossos.

            “Obrigado, Weed-nim”.

            Satisfeitos com a esplêndida comida, eles elogiaram Weed novamente e novamente.

            “Não é nada”.

            Weed olhou em volta e encontrou muitos outros usuários que haviam cercado a pequena grelha do grupo sem que ele percebesse.

            “Isso parece tão bom…”

            Um deles disse, com um pouco de baba saindo do lado da sua boca.

            “Realmente…”

            “Eu estou com inveja de que ela esteja apreciando tanto a carne!”

            Entre os membros da força punitiva, o apetite dos espectadores foi estimulado ainda mais pela visão de Irene e Romuna, que estavam aproveitando as suas vidas.

            “Você se importa se eu tiver um pouco de sua carne?”, um homem perguntou.

            Weed distribuiu livremente a sua comida para os outros.

            “Fiquem à vontade. Mas vocês devem trazer um pouco de carne na próxima vez”.

            “Oh, muito obrigado”.

            Eles receberam alimentos de Weed agradecidos. Porém, a comida acabou e apenas alguns a tinham experimentado.

            Weed começou a trabalhar mais duro na próxima refeição porque muitos usuários correram para ele com carnes e lhe pediram para cozinha-las para eles. Na verdade, alguns deles sabiam como cozinhar. Eles tinham sido forçados a preparar refeições quando os alimentos secos acabaram durante uma missão de caça. Para ser franco, no entanto, oitenta por cento das tropas eram do sexo masculino, os quais odiavam as tarefas mundanas da cozinha, tais como descascar batatas e cortar as cebolas em cubos. O mesmo valia para os usuários do sexo feminino.

            Mesmo aqueles que aprenderam a habilidade culinária preferiam reunir a carne e dar para Weed cozinhar para eles.

            “Eu sinto muito por você. Eu realmente te devo uma!”

            Um homem disse, no segundo dia da viagem.

            “De modo nenhum. Você não precisa dizer isso. Eu estou fazendo isso por diversão”, Weed disse.

            “Mas…”

            “Você está muito desconfortável com isso? Então, que tal isso? Vamos fazer um acordo. Se você quiser pagar de volta o que você sente em débito comigo, você pode pagar pela refeição. Pelas especiarias e molhos, você sabe”. Weed disse.

            “Eu gosto disso e funciona. Eu me sentirei melhor assim”.

            Um excelente segundo emprego!

            Weed começou a cobrar uma pequena taxa para cozinhar. É claro, que era muito maior do que os custos reais dos molhos e temperos, mas ninguém reclamou sobre isso porque eles sentiram que era aceitável mesmo assim.

            Quando as tropas pararam em uma cidade na viagem em direção a Aldeia Baran, Weed comprou uma quantidade de alimentos em uma mercearia local.

            Ele precisava atualizar as suas receitas para melhorar a sua habilidade culinária em um ritmo mais rápido. Além disso, novos tipos de menu que nunca tinha sido tentados anteriormente eram sempre bem recebidos pelos seus clientes.

            Com os alimentos que ele tinha comprado da mercearia, ele ficou ocupado trabalhando sobre eles durante a marcha e os cozinhava na hora das refeições.

            A lâmina de esculpir de Zahab, além do seu uso original, era perfeita para descascar batatas. (NT = Nota João: pobre faca, imagino o Zahab vendo isso)

            ‘Bem, esculpir estátuas e descascar batatas são quase a mesma coisa’.

            As refeições preparadas por Weed basicamente aumentavam a vida em cinco por cento e, como a sua habilidade de artesanato estava no nível intermediário, ela dava um bônus adicional.

            Simplificando, a habilidade artesanal intermediária complementava os efeitos originais em trinta por cento para a maestria com a espada e em cinquenta por cento para a habilidade culinária.

            Portanto, o efeito final sobre a vida era de um aumento de 7,5%. Pode parecer trivial, mas esta diferença poderia salvar uma vida no meio de uma batalha caótica onde ataques cegos estavam sempre à espreita por trás.

            Rostos conhecidos se aproximaram de Weed, que estava imerso na preparação da comida. Eles estavam usando uniformes do Exército de Rosenheim.

            “Comandante!”

            Apenas um punhado de NPCs abordaria Weed por esse título. Ele parou de cortar a carne, levantou a sua cabeça e viu rostos que ele já tinha visto anteriormente.

            “Você é…”, Weed disse.

            “Saudação! Saudações para o comandante!”

            Eles eram Becker, Hosram e Dale, os irmãos de armas que haviam lutado ao lado de Weed no Covil de Litvart.

            “Como vocês estão?”, Weed perguntou.

            “Nós todos fomos promovidos a denarions, comandante”, Becker disse.

            Quando os soldados, que tinham sido exaustivamente treinados por Weed, foram promovidos a denarions, eles não poderiam voltar para seus regimentos originais. Assim, as autoridades militares tinham atribuído a eles recrutas e uma nova missão.

            “Eu acho que eles lhe disseram para se juntar à força punitiva vinculada à Aldeia Baran”, Weed disse.

            “Sim, comandante”, Dale disse e continuou:

            “Uma vez que a missão for concluída, nós seremos destacados na aldeia para proteger a área circundante”.

            Um número de ex-subordinados de Weed, incluindo Buran, estava sob as asas de Sir Midvale, mas o resto, agora denarions, estava atualmente servindo na força punitiva.

            Foi o nariz canino de Becker que cheirou a comida de Weed e o rastreou para encontrar o ex-comandante.

            “Hehe”, Hosram riu.

            “Eu sinto falta da sua comida, comandante”, Becker disse.

            “Eu sinto muito que nós não estejamos indo servi-lo novamente, mas por que não nos mostra que a velha camaradagem nunca morre?”

            Seus ex-subordinados disseram enquanto seguravam seus estômagos vazios.

            “Como ele conhece os soldados de Rosenheim?”

            “Eles não estão soldados de infantaria. Eles se parecem com denarions”.

            “Eles simplesmente o chamaram de comandante”.

            Surka e Pale não conseguiam esconder a surpresa. Um denarion era uma posição bastante elevada e o nível desses denarions era aparentemente maior do que o deles. (NT = Nota João: Sabe de nada inocente)

            “OK. Aqui”.

            Weed serviu o que ele estava cozinhando para seus ex-subordinados sem reservas. Não era preciso dizer que todos os suprimentos racionados para os seus pelotões começaram a ser contrabandeados para Weed, a partir daquele momento. (NT = Nota barafael: kkkkkkk quem serviu o exército sabe que durante um acampamento ou instrução “ração”/alimento é igual cigarro para os presos, uma verdadeira moeda de troca)

***

 

            Levou precisamente dez dias a pé para as tropas chegarem na Aldeia Baran.

            Weed tinha a intenção de melhorar a sua habilidade culinária na viagem. Para atingir o estágio intermediário é necessário não apenas a proficiência na habilidade, mas também uma quantidade inumana de trabalho físico.

            Na época do Covil de Litvart Weed tinha servido trinta e dois homens, três vezes ao dia, ou seja, noventa e seis porções diariamente, o que totalizou três mil tigelas de guisado de carne.

            Em seguida, ele criou um restaurante ao ar livre para preparar e vender refeições na Cidadela. Agora que ele estava alimentando centenas de bocas durante a marcha, era estimado que ele tivesse servido pelo menos dez mil refeições.

            Levando em conta que um homem come três vezes ao dia, isso leva noventa porções durante um mês, em torno de um mil e oitenta porções para o ano inteiro.

            Weed tinha feito o que equivalia a dez anos de comida para um homem solteiro para alcançar o estágio intermediário na habilidade culinária, de modo que se você ainda não entendeu, você está seriamente perdido.

            Cozinhar como um hobby não é comparável à preparação de milhares de refeições a fim de obter uma taxa de aptidão para a habilidade culinária.

            Embora a arte escultural fosse melhor para melhorar a habilidade de artesanato, Weed estava com medo de atrair atenção indesejada por esculpir estátuas durante a marcha.

            Cozinhar poderia passar despercebido mais facilmente, fazendo dinheiro e ganhando gratidão, além de respeito a partir dos outros usuários/NPCs.

***

            As tropas finalmente visualizaram a Aldeia Baran.

            “Estamos quase lá”.

            “Que tipo de monstros vocês acham que estarão lá? Eu não posso esperar para combatê-los”.

            Conversando despreocupadamente, Irene e Surka estavam descendo pelo caminho, enquanto Weed agora terminava de cozinhar e olhava para o céu.

            Não havia nada lá além das nuvens brancas que estavam preguiçosamente navegando em um céu azul.

            ‘Eu sabia. A Cidade do Céu não passava de um mito. Eu estava distraído por um mito estúpido. A Aldeia Baran… o livro dizia que a aldeia era o último lugar com qualquer conexão para a Cidade de Céu. É por isso que eu entrei nesta missão, mas eu estava errado’.

            Uma tênue esperança foi dissipada.

            Quando as tropas marcharam perto da Aldeia Baran, Darius gritou:

            “Alto!”

            Darius sinalizou para todo o grupo parar imediatamente. Quando Weed nas fileiras traseiras andou para frente, ele viu um homem velho em roupas surradas e dezenas de crianças cambaleando em direção às tropas.

            “Qual é o seu negócio?”

            Darius perguntou e nem sequer desceu do seu cavalo. Darius e seus asseclas eram os únicos usuários a cavalo.

            “Saudações respeitável comandante. Nós somos os sobreviventes da Aldeia Baran”, disse o velho e continuou:

            “Eu sou Ghandilva, o ancião da aldeia. Eu recentemente enviei Jackson para espalhar a triste notícia da calamidade da minha aldeia para a Sua Alteza e pedir por ajuda. Eu espero que vocês sejam aqueles a nos tirar da miséria”.

            “Sim”, Darius disse.

            Ghandilva era um ancião da Aldeia Baran e as crianças aterrorizadas que o seguiam tinham escapado da aldeia com ele quando ela foi invadida pelos lizardmen.

            “Nós retomaremos a Aldeia Baran muito em breve”, Darius disse para Ghandilva e continuou:

            “Então, fique confortável e espere um pouco mais pela boa notícia”.

            “Eu estou feliz em ouvir isso, você é um comandante respeitado. A propósito, eu tenho um pedido pessoal…” Ghandilva disse.

            “O que é?”

            “Por favor, resgate meu povo que foi capturado por essas criaturas desprezíveis. É o último desejo deste humilde homem velho”, Ghandilva se declarou em meio a lágrimas.

            Os olhos de Darius brilharam.

            “Esta é uma missão?”

            “Sim, é a missão para minha aldeia, respeitável comandante”, Ghandilva disse.

            “Que recompensas você pode me dar?”, Darius perguntou diretamente.

            Como um usuário de nível elevado, Darius não se apressava em qualquer missão apresentada a ele. Havia muitas missões ao redor e um monte delas era só perda de tempo.

            Ghandilva fez uma cara abatida e disse:

            “Não temos nada de valor para dar-lhe, senhor. Tudo o que eu posso dar é isso…”

            Ghandilva mostrou uma semente de aparência simples.

            “Era o que eu pensava. Que recompensas que eu esperaria de um homem velho que perdeu a sua aldeia para um bando de lizardmen simplórios? Sem tesouros, sem itens”. Darius disse.

            Darius riu friamente. Ele pensou que o velho tinha vindo a ele para causar problemas antes que ele expulsasse os lizardmen para fora da aldeia.

            “Então eu controlarei a aldeia rápido e, se nós tivermos mãos livres disponíveis após a batalha, eu pessoalmente farei com que algumas tropas sejam enviadas para resgatar os prisioneiros”, Darius disse e continuou:

            “Nós não podemos esperar seriamente que os reféns pegos pelos lizardmen ainda estejam vivos até agora. Não teste a minha paciência, meu velho”.

            Darius se afastou de Ghandilva trotando impiedosamente com o seu cavalo.

            Alguns usuários da força punitiva chamaram pelos nomes de seus líderes em voz baixa, mas ninguém se atreveu a se levantar para ajudar o ancião. Ghandilva foi lançado no desespero. Então, alguém agarrou as suas mãos enrugadas.

            Foi Weed.

_________________________________________________________________

Tradutor: João

Revisão/Adaptação: barafael

Formatação: barafael

Edição: barafael

Fonte da tradução: http://royalroadweed.blogspot.com.br/2014/11/volume-1-chapter-10.html

_________________________________________________________________

Capítulo Anterior  |  Próximo Capítulo

3 comentários sobre “LMS – Volume 1, Capítulo 10: O Papel de Weed na Força Punitiva

    • Preso n kkkkk, mas fiquei punido várias vezes lá, é impossível n ficar. Se tiver uma dobra errada no lençol da cama do alojamento já fica punido e todo dia tem uma dobra diferente pra fazer

      Curtir

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s